Entenda prebióticos e probióticos

Você já ouviu falar sobre prebióticos ou probióticos?

Eles têm sido bastante comentados atualmente e têm tido uma grande importância no campo da nutrição, devido às suas propriedades, que contribuem para uma melhor qualidade de vida.

  • Mas quais propriedades seriam essas?

Bom, temos visto que a nutrição tem evoluído significativamente com o passar dos anos. Atualmente, uma dieta adequada é constituída não apenas por nutrientes necessários para a sobrevivência do indivíduo, mas também de nutrientes que serão capazes de assegurar a sua saúde, reduzindo o risco de doenças e apresentando algum efeito benéfico diante de determinados processos. Denominam-se os alimentos que apresentam tais características como funcionais.

De acordo com a biblioteca virtual do Ministério da Saúde, os alimentos funcionais são caracterizados por oferecer, além do valor nutritivo característico de sua composição química, vários benefícios à saúde, podendo desempenhar um importante papel na redução do risco de doenças crônicas, como câncer, diabetes, entre outras. Dentre esses alimentos considerados funcionais, podemos destacar os probióticos, prebióticos e a combinação de ambos, os simbióticos.

  • E quais seriam as diferenças entre eles?

Sabemos que o intestino humano é o habitat natural de microrganismos que desempenham grande importância na nossa saúde, e, através de uma alimentação saudável, principalmente que inclua os prebióticos e probióticos, podemos promover a vitalidade da nossa microbiota intestinal.

 Os prebióticos são compostos presentes em alguns alimentos que não são digeridos, mas que sofrem fermentação no nosso organismo e estimulam o crescimento de bactérias benéficas no intestino, ajudando a inibir o crescimento de patógenos e modulando a microbiota intestinal. A Inulina e Frutooligossacarideos (FOS) são exemplos de prebióticos que favorecem o bom funcionamento do intestino, sendo de extrema importância na prevenção de patógenos carcinogênicos, melhora dos movimentos peristálticos e a absorção de minerais. De acordo com o Ministério da Saúde, podemos encontrar os prebióticos extraídos de vegetais como raiz de chicória e batata yacon.

Já os probióticos são microrganismos vivos, responsáveis por colonizar a mucosa intestinal, favorecendo as funções gastrointestinais, reduzindo o risco de constipação e câncer de cólon. Além disso, pode melhorar a digestão da lactose em pessoas classificadas como lactose-intolerantes. Os probióticos podem ser encontrados em leites fermentados, iogurtes e no kefir.

Os alimentos prebióticos se diferem dos probióticos por não serem digeridos pelo trato gastrointestinal (TGI) humano, enquanto os prebióticos apresentam a capacidade de estimular o crescimento de bactérias naturais do organismo, os probióticos são os microrganismos já vivos, que, se administrados em quantidades adequadas, também irão fornecer benefícios à saúde do hospedeiro.

Quando ocorre a combinação de alimentos que apresentam um probiótico e um prebiótico, estes são considerados simbióticos. A administração conjunta de um probiótico com um prebiótico específico pode contribuir para um melhor desenvolvimento dos probióticos, aumentando a sua sobrevivência e implantação no nosso trato gastrointestinal.

Sabemos que a microflora intestinal e o trato gastrointestinal estão envolvidos na etiologia de várias doenças atualmente. Quando conseguimos fornecer um equilíbrio para a nossa microbiota, contribuímos significativamente para o desenvolvimento de um organismo mais saudável como um todo.

É muito importante destacar, que o uso indiscriminado de antibióticos, anti-inflamatórios, hormônios e antiácidos, assim como o estresse e a má alimentação, são responsáveis por causar um desequilíbrio no intestino e em suas funções, nos deixando mais suscetível a inúmeras doenças. E também salientar, que a ingestão desse tipo de alimento funcional tem que ser um hábito, ou seja, fazer parte da nossa rotina, pois é algo profilático, preventivo. Não adianta tomar um iogurte hoje e depois nunca mais.

Sendo assim, a alimentação adequada, aliada a prática regular de atividade física, se tornaram o principal foco na manutenção de uma vida saudável, e a inclusão de alimentos probióticos e prebióticos na dieta, tem o potencial de diminuir os riscos de desenvolvimento de doenças crônicas, melhorando a qualidade de vida e promovendo o envelhecimento saudável.


Para agendar uma consulta  >> clique aqui <<





REFERÊNCIAS

BRASIL. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA). Alimentos com Alegações de Propriedades Funcionais e ou de Saúde, Novos Alimentos/Ingredientes, Substâncias Bioativas e Probióticos, IX – Lista de alegações de propriedade funcional aprovadas, 2008.

SILVA, B. Y. C; MARTINS, T. F. Alimentos Prebióticos e Probióticos na manutenção da saúde humana: qual a abrangência? Revista de Atenção à Saúde, v. 13, n. 44, abr./jun. 2015, p.71-79.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: